Mapa da Desigualdade 2019 revela dados importantes sobre questões sociais

Desenvolvido e publicado pela Rede Nossa São Paulo desde 2012, o relatório mostra a desigualdade entre diversas regiões da Capital

Fonte: Mapa da Desigualdade 2019

Utilizando uma série de indicadores, o Mapa da Desigualdade analisa cada um, dos 96 distritos da cidade de São Paulo, para comparar e verificais os locais que possuem menos serviços e equipamentos públicos. A diferença entre o melhor e o pior bairro em cada aspecto determina o chamado “Desigualtômetro”, método que a Rede Nossa São Paulo desenvolveu para facilitar a compreensão dos dados.

Para realizar o levantamento, foram levados em conta 53 indicadores de várias áreas da administração pública, utilizando a Prefeitura de São Paulo como fonte. O objetivo principal é difundir as informações para os habitantes, ampliar o conhecimento sobre os territórios da cidade e fazer com que sejam incentivadas políticas públicas mais inclusivas.

Willian Boudakian, nosso Diretor Executivo, comentou a importância do Mapa da Desigualdade:

“Ele nos mostra, em números, o que é percebido pela maioria da população diariamente. Também evidencia à sociedade os desafios de uma grande cidade, além de oferecer pistas claras sobre onde e como o poder público, organizações e as empresas deveriam atuar para promover a equidade”.

Alguns dos dados levantados foram referentes a:

  • Número de comunidades;
  • Demanda de creches municipais e vagas referentes a elas;
  • Matrículas no Ensino Básico em escolas públicas
  • Cinemas;
  • Museus;
  • Teatros;
  • Entre outros.

Neste texto, vamos focar em alguns indicadores voltados para o que o Instituto Família Barrichello acredita e trabalha para diminuir constantemente essa desigualdade. Esses itens são:

  • Centros Culturais, Casas e Espaços de Cultura
  • Equipamentos Públicos de Cultura
  • Equipamentos Públicos de Esporte

Centros Culturais, Casas e Espaços de Cultura

Os Centros Culturais são parte muito importante de uma comunidade, porque trazem acervos, exposições, música, bibliotecas e diversas outras formas de arte para a população. De acordo com o Mapa da Desigualdade, 53 distritos da Capital não possuem nenhum espaço para cada 10 mil habitantes.

Mas, isso não diz respeito apenas a bairros mais afastados e com o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) mais baixo, como Lajeado. Isso ocorre também no Campo Belo, bairro que possui um dos IDH mais altos da cidade. Veja a tabela abaixo com informações de todos os bairros:

Fonte: Mapa da Desigualdade 2019

Equipamentos Públicos de Cultura

Apesar de ser similar ao item anterior, esse ponto diz respeito a espaços abertos, como Pontos de Leitura, Escolas de Formação, Ônibus-Biblioteca, CEUs, entre outros. Esse tipo de espaço é importante, pois permite que pessoas de baixa renda tenham acesso a diversas formas de cultura e arte.

Em comparação ao tópico anterior, o número de bairros que não possuem algo do tipo diminui consideravelmente, mas ainda sim mostra uma grande diferença entre o bairro com mais equipamentos (Butantã com 53,67 para cada 100 mil pessoas) e os últimos colocados (como Marsilac, com 0) e com o “Desiguatômetro” apontando uma diferença de 87,4 vezes entre eles. Veja a tabela completa abaixo:

Fonte: Mapa da Desigualdade 2019

Equipamentos Públicos de Esporte

Esse é o indicador que mais nos preocupa, pois envolve o ponto central do Instituto Família Barrichello: o esporte. Sempre acreditamos que o esporte pode ser uma forma de transformação social muito abrangente, pois afeta o corpo e a mente, além de poder ensinar conceitos básicos de convivência e trabalho em equipe.

Sendo assim, equipamentos públicos têm uma função social primordial, dando às comunidades uma alternativa cultural, esportiva, educacional e de lazer para todos que têm acesso a elas.

A média da cidade é de 0,3 por bairro (se levarmos em conta o total de equipamentos, dividido pela população e multiplicado por 10 mil), mas há bairros que não possuem nenhum, como o Brás e, novamente, Marsilac. Isso representa uma diferença, de acordo com o Desigualtômetro, de 25 vezes.  

Assim como citado no tópico de Centros Culturais, não são apenas os bairros mais carentes que não possuem nenhum equipamento público de esporte, mas também Pinheiros, que tem o segundo melhor IDH de São Paulo (ficando atrás apenas de Moema). Veja a tabela completa abaixo.

Fonte: Mapa da Desigualdade 2019

No Mapa da Desigualdade ainda há outros aspectos levantados, como gravidez na adolescência, diferença salarial entre mulheres e homens, mortalidade, entre outros. A leitura é muito importante e muito válida. No link ao abaixo podem ser vistas as duas versões do arquivo.

“O Instituto acredita que acompanhar os dados e evidências é um dos princípios para desenhar programas e projetos mais assertivos, capazes de, junto com as famílias, reverter este quadro de desigualdades” – reforça William Boudakian.

Em linha com o que disse nosso Diretor Executivo, nós, do Instituto Família Barrichello, trabalhamos e lutamos diariamente para diminuir essa diferença social entre as regiões da nossa cidade e, consequentemente, do nosso país. É necessário levar esporte, arte, música, bibliotecas e acesso à informação às pessoas que estão mais distantes delas. É importante lutar e olhar por todos, buscar o bem do próximo e sempre evoluir como seres humanos. Vamos continuar a luta e não vamos pará-la enquanto não tivermos atingido o nosso objetivo, que é a Equidade Social.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Fechar Menu
×

Carrinho