Fases do Desenvolvimento de Crianças e Adolescentes

Entender cada fase da vida da criança e do adolescente é essencial no processo de educação

O papel do educador social é utilizar ferramentas pedagógicas para intervir nas problemáticas dos indivíduos, com atividades que que visam a promoção e a integração social de pessoas em situação de risco, excluídas ou em vulnerabilidade social.

Educar uma criança não é, nem de longe, uma tarefa fácil. E, quando se trata de educar, muitas coisas devem ser levadas em consideração, como perfil, disponibilidade e a vontade de aprender. Mais importante ainda, é o olhar do educador para identificar as particularidades de cada um, pois elas vão influenciar, e muito, todo esse desenvolvimento. Entender cada fase da criança e do adolescente é crucial para o desenvolvimento de cada uma das atividades.

De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), indivíduos dos 0 aos 12 anos incompletos são considerados crianças e dos 12 aos 18 anos incompletos, são adolescentes.

Mas o processo de divisão também pode ser marcado em três períodos de 7 anos: dos 0 aos 7, dos 7 aos 14 e dos 14 aos 21. Neste artigo, vamos explicar como funciona cada período   dessa divisão.

Fase 1 – “O Mundo é belo”


É nessa fase, entre os 0 e os 7 anos, que o sonhar, imaginar, explorar, agir e querer são muito trabalhados. A criança está tomando sua forma física e o contato com o ambiente é determinante. Isso se dá ao engatinhar, ao aprender a sentar, andar e correr, como uma forma de se expressar.

É justamente nesse momento da vida que os pequenos estão conhecendo as coisas, aprendendo sobre o que está à sua volta e, por isso, é necessário deixá-los livres para brincar e explorar o ambiente, desenvolvendo assim habilidades motoras básicas. Vale deixá-los com os pés no chão e criar brincadeiras em espaços públicos, praças e parques.

Mas é claro que apenas os lugares abertos não são suficientes, já que é nessa fase da vida em que se aprende a usar a criatividade. Para estimulá-los, é importante desenvolver trabalhos manuais simples, como pinturas livres, brincadeiras individuais e a construção de espaços para brincar, como fazer uma cabana com cobertores.

Fase 2 – “O mundo é bom”


Este segundo período, dos 7 aos 14 anos, é o momento em que as crianças iniciam o contato consigo mesmas e as emoções, como a alegria e o medo, começam a se tornar mais intensas.

Perto dos 9 anos, eles começam a perceber, de verdade, o que está acontecendo no mundo e os adultos passam a ser referências para que a criança tenha um senso do mundo bom. Como nesse momento os sentimentos e a consciência motora estão mais fortes, há um ganho de força e velocidade na criança. Por isso, brincadeiras como pega-pega, duro ou mole e desviar de obstáculos são tão presentes.

Chegando aos 11 anos, elas começam a jogar juntas, resolvendo problemas lógico-racionais mais complexos e agindo de forma mais intencional. O fim desse setênio marca uma fase de muitas transformações, pois na adolescência o corpo passa por diversas mudanças e aprimoramentos motores.

Fase 3 – “O mundo é verdadeiro”


Nessa fase, entre os 14 e os 21 anos, os adolescentes começam a encarar a realidade de uma forma mais real, pois passam por diversas mudanças e chegam no momento em que são colocados a prova, além do ambiente familiar. A partir daí, valores éticos e morais são confrontados e, de fato, eles nascem para o mundo.

É a fase do questionamento às pessoas e o mundo a sua volta, colocando em prática tudo aquilo que aprenderam na primeira infância, geralmente de forma conflituosa e com muitas emoções envolvidas. Também é um período que precisa de muita atenção, pois algumas escolhas, dentro de contextos em que aparecem elementos externos, podem gerar mudanças de rota na história de cada um deles.

Fonte: Guia do Educador

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Fechar Menu
×

Carrinho