Crianças e adolescentes: atividades para entretenimento durante a quarentena

Enquanto os cientistas trabalham para descobrir a cura para o Covid-19, o isolamento social é o melhor ‘remédio’ para combater o cenário de pandemia causado pelo novo coronavírus. A recomendação da Organização Mundial de Saúde, e encabeçada por estudiosos e órgãos públicos competentes, é para ficar em casa sempre que possível. No período de ‘quarentena’, a criatividade é essencial para entreter crianças e adolescentes, e não deixar a rotina cair na monotonia – ou ainda no hábito de dividir o tempo apenas entre celular e televisão.

São várias as possibilidades para manter o corpo e a mente ativos: brincar, estudar, meditar e até mesmo participar nas tarefas de casa, ajudam a passar o tempo com qualidade. Mímica e stop estão entre as brincadeiras que mais estimulam a imaginação. Montar um castelo de cartas, formando a base com uma carta horizontal acima de dois triângulos, é uma boa opção para quem gosta de atividades que exigem mais cuidado e concentração. Se houver espaço, a caça ao tesouro é uma excelente alternativa para gastar energia e aguçar o raciocínio. Os jogos de tabuleiro também têm essa característica de estimular o pensamento.

No campo dos estudos, a matemática pode ser um grande aliado para o entretenimento durante o período de quarentena. O Portal do Saber (www.portaldosaber.obmep.org.br), que está disponível na internet, oferece quebra-cabeças matemáticos dirigidos às crianças, de forma lúdica, em tom de brincadeira. Para os jovens e adolescentes, as provas de anos anteriores da OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) são bons desafios para o período de prevenção.

Foto de criança sorrindo e segurando um livro aberto.

EXERCÍCIOS

As atividades físicas são fundamentais para manter o corpo saudável – mesmo em casa. Por isso, as instituições que trabalham com o assunto estão empenhadas em contribuir para que ninguém perca o ritmo. “As recomendações de isolamento são as mesmas para as crianças, elas têm muita energia, o que é natural. Além disso, as crianças e adolescentes dependem do engajamento da família, seja o pai ou a mãe, ou ainda o cuidador. Assim, manter este contato é um desafio maior, que estamos tentando driblar”, contou William Boudakian, diretor executivo do Instituto Família Barrichello, que possui projetos voltados para crianças e adolescentes.

“Ajustamos o plano de trabalho para garantir atividades online, mas há muitos desafios para superar. As atividades possuem um conteúdo menos técnico e repleto de ludicidade, que cativa e mobiliza, e estão sendo distribuídas nas redes sociais, pois visam também estimular e dar suporte para que as famílias coloquem o movimento na rotina. É importante que as famílias compreendam que o brincar é uma linguagem fundamental de autoexpressão das crianças. Garantir este espaço é criar um ambiente de acolhimento e ajuda as crianças a não sentir de forma pesada o baque do isolamento social”, completou Boudakian.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Fechar Menu
×

Carrinho