Instituto Família Barrichello comemora 15 anos de trabalho e transformação

Rubens Barrichello tinha 10 anos de idade quando viveu uma situação que mudaria para sempre o rumo de sua vida. Acompanhado pelo pai, Rubinho se dirigia ao Autódromo de Interlagos, região de São Paulo rodeada por favelas, para seu treino de kart. Fazia muito frio, quando avistaram um menino olhando os carros e sofrendo com a baixa temperatura. Rubão, então, sugeriu ao filho tirar o casaco que vestia e entregar ao menino. Dias depois, quando Rubinho se preparava para outro treino, viu novamente aquele menino, mas sem a blusa e o dia também estava frio. Rubinho e o pai perguntaram o que havia acontecido e garoto contou que seu pai tinha vendido o casaco para comprar drogas. Naquele momento, foi plantada a semente que deu como fruto o Instituto Família Barrichello.

“O dia que eu puder ajudar, vou fazer alguma coisa”, pensou Rubinho. Ao longo da carreira, o piloto que mais provas disputou na história da Fórmula 1, máxima categoria do automobilismo internacional, sempre foi generoso com as doações. Com o apoio da família, Rubens Barrichello carregava consigo o desejo de combater a desigualdade social e contribuir para uma sociedade mais igualitária. O passo definitivo foi dado em 2005, quando teve início a história do Instituto Família Barrichello, que busca promover o desenvolvimento humano através de duas grandes paixões de Rubinho: o esporte e a vontade de transformar a realidade social. A organização nasceu no dia 13 de julho, data que também marca as celebrações ao Estatuto da Criança e do Adolescente.

“Tenho certeza de que as nossas metas foram superadas. Se com todo o nosso esforço uma vida fosse transformada, já estaríamos felizes, mas sabemos que milhares de crianças, jovens e idosos foram alcançados e hoje têm um novo rumo e novos sonhos. Estamos crescendo a cada ano, não só em número de atendimentos, mas também em qualidade. Hoje, estamos assessorando outras organizações e até prefeituras de outras cidades. Poder levar nosso conhecimento e ajudar o Brasil a superar a desigualdade social é incrível”, destacou Rubinho.


“Lá se vão 15 anos. As primeiras ações começaram em 2006 e os primeiros projetos tiveram o esporte como grande elemento de diálogo e transformação, pois é uma linguagem que o Rubinho traz na essência. Porém, o nosso DNA sempre foi a família. O Rubinho não esconde que só conseguiu tudo o que conseguiu, porque teve o suporte familiar para fazer o que fazia de melhor. Nossa ideia era pensar programas e projetos que pudessem agregar toda a família. Foi aí que iniciamos o trabalho com crianças, adolescentes, mães e idosos, visando apoiar a população para superar situações difíceis que a vulnerabilidade social impõe. Nós queremos que eles voltem a sonhar”, relatou o diretor executivo William Boudakian.

Desde que foi idealizado, o Instituto Família Barrichello promove impactos positivos na sociedade, atuando em organizações sociais, movimentos, escolas e espaços públicos localizados em bairros com altos índices de vulnerabilidade social e econômica, desenvolvendo projetos que lutam pela cidadania participativa, ampliação da consciência de direitos e deveres, cultura de paz e o estímulo a ações protagonistas. Todas as estratégias visam o fortalecimento dos vínculos familiares. O esporte, a atividade física e o brincar são as ferramentas utilizadas para essa transformação. Em 15 anos de existência, mais de 16 mil pessoas de todas as idades já foram atendidas.

“Criamos um espaço onde as pessoas são escutadas, no qual elas podem partilhar as angústias e aprender com o esporte e a atividade física. Nós temos um propósito claro, onde a verdade e a justiça têm lugar de fala, com o ambiente de proteção criado pela magia do esporte, que é um direito de todos. São esses os valores que carregamos, o pensar e o sentir precisam estar equilibrados com a dimensão do agir. É isso que dinamiza as relações e que ajuda todos a sonhar, a buscar o seu caminho no mundo em que vivemos. O Instituto Família Barrichello, ao longo desses 15 anos, foi sempre esse ambiente de apoio”, enalteceu Boudakian. As convicções do trabalho realizado seguem intactas, mesmo com o atual cenário de pandemia causado pela COVID-19, em que videoaulas, assistência social e psicológica foram integradas no processo para auxiliar a população atendida.

“Foram nos momentos mais difíceis que aprendi as maiores lições. Sempre que somos provados, conseguimos criar projetos mais ousados e, com esse cenário de pandemia, nos reinventamos para estar ao lado das pessoas que mais precisam. São dezenas de comunidades atingidas e estamos prestando ajuda humanitária, levando alimento, esperança e aulas digitais. Ficamos felizes por conseguir ajudar.  Isso reforça nossas crenças e valores que estão presentes nesta assistência social de emergência”, afirmou Barrichello, que já está preparado para os desafios que o instituto terá pela frente nos próximos anos.

“Quanto mais crescemos, mais precisamos de apoio. Graças a Deus, temos conseguido, com muita seriedade, trazer empresas para atuarem do nosso lado. Queremos ampliar o trabalho nos territórios em que já atuamos, visando ofertar mais oportunidades para as famílias de baixa renda e também queremos levar conhecimento para outras organizações do Brasil. Para isso, vamos desafiar não apenas as empresas, mas as pessoas que podem contribuir, mesmo que seja com pouco. Queremos que elas estejam conosco para somar esforços, promovendo a mudança social que o Brasil precisa”, completou.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Fechar Menu
×

Carrinho