Dia Mundial da Educação: uma reflexão sobre o ensino básico no Brasil

Dia 28 de Abril, comemora-se o Dia Mundial da Educação. Muitos não conhecem a origem da data, mas nesse dia, em 2000, encerrava-se o Fórum Mundial de Educação que aconteceu em Dakar, no Senegal. Nessa ocasião ficou estabelecido o compromisso de países levarem ensino básico para todas as crianças e jovens do mundo, considerado um marco para a educação global.

Por isso, hoje, nós do Instituto Família Barrichello, queremos chamar a atenção a refletir sobre a importância da educação na construção dos valores essenciais na vida de todos os indivíduos.  É um direito de todo o cidadão, ter acesso ao ensino para o desenvolvimento de competências e habilidades associado às formações escolar, familiar e social.

Aqui no Instituto, nossos esforços são dedicados ao ensino por meio do esporte, da atividade física e do brincar. Nossos projetos desenvolvem habilidades em crianças, adolescentes, idosos e famílias, promovendo o resgate de valores humanos, e principalmente o combate à desigualdade e a exclusão social empoderando e fortalecendo a sociedade.

O Diretor Executivo do Instituto Família Barrichello, William Boudakian alerta que acesso à educação de qualidade está cada vez mais difícil e revela a exclusão digital entre ricos e pobres. “Nos resta urgentemente nos mobilizar para oferecer ajuda humanitária e projetos que sejam capazes de dar suporte às crianças e adolescentes vulneráveis”.

Em 2020, a educação sofreu impactos incalculáveis com o fechamento de escolas e suspensão de aulas presenciais, agravando a desigualdade no acesso à educação. Com isso, houve a migração para o formato do ensino à distância, onde muitas famílias mais vulneráveis foram prejudicadas por não ter acesso à internet ou dispositivos eletrônicos adequados para acompanhar as aulas.

Nossos coordenadores e educadores, mesmo vivendo em um período de desafios para a educação, se dedicam diariamente e criaram alternativas para que as atividades do Instituto Família Barrichello fossem mantidas;

Mesmo com o retorno gradual das aulas presenciais esse ano, alguns estudos já revelam dados alarmantes em relação ao impacto dessas mudanças na qualidade de ensino no Brasil:

  • De acordo com o Censo Escolar da Educação Básica, do Ministério da Educação (MEC), a internet banda larga não chegava a 15 mil escolas urbanas em 2019, e cresceu para 17,2 mil em 2020.

  • Uma análise do Banco Mundial aponta que 7 em cada 10 estudantes do país podem ter nível de leitura abaixo do ideal após 13 meses de aulas remotas. Antes da pandemia, eram 5 em cada 10 estudantes.

  • O estudo Cenário da Infância e Adolescência no Brasil 2021, realizado pela Fundação Abrinq, mostra que entre os meses de julho e novembro de 2020, em média, 1,66 milhão de crianças e adolescentes de até 17 anos de idade informaram não estar estudando.

Com o avanço da vacinação e controle da pandemia, ainda teremos o desafio de trazer de volta as crianças e adolescentes que abandonaram a escola neste último ano e recuperar o tempo perdido.

Por isso, mais do que antes, o Instituto Família Barrichello segue com todos os esforços atendendo mais de 2 mil pessoas por semana, norteado pelas metas do Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), incluindo a meta 4: Garantir educação de qualidade, inclusiva e equitativa, e promover oportunidades de aprendizado ao longo da vida para todos.

Agradecemos toda a nossa equipe de educadores nesses 15 anos de atuação, e queremos parabenizar também o esforço de todos os professores e instituições que continuam trabalhando diariamente para transformar e garantir uma educação de qualidade para as crianças e adolescentes no Brasil!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email